Qual dos novos uniformes do Superman vocÍ gostou?


Jeans,camiseta,capa 16.4%
A \"armadura\" 23.4%
Prefiro o clássico 60.1%

Total:  128 votos








Desenhos muito animados

Desenhos MUITO ANIMADOS !

Fred Flintstone e Barney Rubble participando de uma troca de casais com Betty e Wilma. Alice (a do País das Maravilhas) flagrada transando com o Chapeleiro Louco. Daphne, Freddie, Salsicha e Scooby Doo fazendo uma orgia capaz de ruborizar o mais desinibido dos mortais. Os desenhos animados perderam a inocência. pelo menos na Internet, onde cada vez mais proliferam os chamados sextoons, ilustrações eróticas e pornográficas que parodiam os maiores ícones do mundo de Walt Disney, Hannah Barbera e muitos outros artistas famosos (nem mesmo sucessos recentes como Pokémon e Dragon Ball escapam).

A sátira erótica/pornô a desenhos não é novidade. Ela existe pelo menos desde o final dos anos 60, quando as publicações underground estadunidenses escrachavam os autores "que se rendiam ao sistema" e, ao mesmo tempo, zombavam da censura imposta pelo governo americano com o Comics Code, um "código de ética" que levou muitas HQs à fogueira.

Data desta época, por exemplo, um famoso poster no qual todos os personagens Disney - de Mickey e Pateta a Peter Pan e Sininho - participavam de uma orgia (o quadro foi reproduzido no Brasil pelo menos uma vez na revista Animal, na década de 80). A novidade, agora, é o número de desenhos que se espalha na rede mundial de computadores e a alta qualidade da maioria esmagadora deles, que parece ter sido produzida pelos próprios animadores ou pessoas de suas equipes. Da mesma forma, é cada vez maior o número de pessoas que procura este tipo de site, em busca de personagens que antes faziam parte de um mundo de fantasia e, agora, fazem parte de outros tipos de fantasias.

Para o filósofo e professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) César Nunes, os sextoons são um fenômeno complexo. Para Nunes, que é presidente da Associação Brasileira de Educação Sexual e autor de diversos livros sobre sexualidade humana, é preciso primeiro relembrar que o ser humano tem uma relação estreita com os desenhos. "Desde a época das cavernas os desenhos são usados como forma de expressão do homem. No caso dos desenhos animados, eles sempre foram usados de modo a transmitir valores universais, ressaltando o 'discurso do bem', retratando de maneira afirmativa a sociedade", diz o professor.

 

Ele ressalta, no entanto, que a partir em especial da pós-modernidade dos anos 80, os valores da sociedade mudaram e novas temáticas humanas entraram em cena. "Houve uma crise de valores éticos e estéticos, e os personagens de desenho refletem essa crise, são um espelho da sociedade. Ao serem re-humanizados, os personagens rompem com os modelos tradicionais e são dessacralizados de uma maneira exacerbada, exagerada, nos desenhos eróticos e pornográficos", diz.

Muitos dos sextoons, no entanto, vão além do sexo puro e simples: há troca de casais, orgias e até mesmo incestos (há seqüências populares entre os internautas envolvendo Jorge Jetson e sua filha Judy e Bart e Lisa Simpson). Quem busca este tipo de desenho, portanto, seria não apenas uma pessoa com valores diferentes, mas também um integrante de uma legião de pervertidos? Para César Nunes, não.

 

 

"É preciso deixar claro que esses desenhos são um jogo de representação do real e não a realidade. Não se pode confundir realidade e fantasia, simbologia com ação de fato. Não é possível classificar como perversão e querer punir algo que não ocorreu de fato, é apenas uma representação virtual, uma fantasia. Em minha opinião, a pornografia dos desenhos animados não é perversão e sim um reflexo das profundas carências culturais do ser humano que se espalha pelas paredes das cavernas da Intenet', sentencia.