Qual dos novos uniformes do Superman vocÍ gostou?


Jeans,camiseta,capa 16.4%
A \"armadura\" 23.4%
Prefiro o clássico 60.1%

Total:  128 votos








He-Man


Pelos poderes de Greyskull...



No início dos anos 80, a empresa de brinquedos Mattel estava trabalhando em uma linha de bonecos baseados no filme Conan, o Bárbaro, quando um gênio do departamento de marketing sugeriu que um brinquedo baseado em um herói violento como o bárbaro poderia ser considerado inadeqüado para crianças. Os bonecos, então, ganharam uma roupagem diferente e foram vendidos com o nome de "Masters of the Universe". Os bonecos (por sinal, bem toscos, com corpo de plástico e cabeça de borracha) venderam bem e, para aumentar ainda mais as vendas, a Mattel encomendou para os estúdios Filmation um desenho animado baseado nos bonecos. Foi assim que, em 1983, surgiu na televisão o desenho He-Man e os defensores do universo.
Inicialmente, o mercado acreditava que os desenhos seriam uma propaganda dos brinquedos mal-disfarçada. No entanto, ninguém - nem mesmo a Mattel - contava com a capacidade da equipe da Filmation. A empresa criou um desenho diferente dos da época, tanto em relação ao desenho dos cenários e personagens (a Filmation chegou a filmar pessoas nas poses e movimentos de todos eles para embasar o desenho) quanto na trilha sonora. O argumento contava a história de Adam, príncipe do planeta Eternia, que usando uma espada mágica e gritando "Pelos poderes de Greyskull" transformava-se em um poderoso herói: He-Man.
Adam usava a espada ainda para transformar seu medroso tigre de estimação, Pacato, no feroz "Gato Guerreiro". Aliás, "transformar" é força de expressão, já que He-Man era apenas um Adam mais moreno (e com menos roupa), assim como o Gato Guerreiro era só um pouco maior que pacato e com uma espécie de armadura-cela (mas qual o problema? Clark Kent transforma-se em Superman tirando o óculos e ninguém percebe...)
Adam defende o planeta contra uma série de vilões, captaneados pelo cruel e afetado Esqueleto - veja a lista dos principais heróis e vilões do desenho abaixo. A seu lado estão seu pai (o rei Randor) e sua mãe, rainha Marlena ( na verdade uma astronauta terrestre que "caiu" em Eternia), o inventor e chefe da guarda "Mentor" ou Duncan, a filha adotiva deste, Teela (pronuncia-se "Tila"), o estranho mago Gorpo e a feiticeira de Greyskull (verdadeira mãe de Tila), entre outros.
Os argumentos eram interessantes e os desenhos do primeiro ano fizeram muito sucesso, mas não fugiam de um desenho típico de aventura. Mas, no segundo ano... Paul Dini (hoje conhecido por seu trabalho com as séries animadas de Batman e Superman, além de várias HQs) e uma equipe de roteiristas resolveram explorar dramas humanos no desenho e o resultado foi surpreendente. Entre outros desenhos memoráveis, foi produzida neste período "A Busca de Teela", no qual a moça lida com o drama de ser adotada, renega mentor e tenta descobrir quem é sua verdadeira mãe. Em outra série de episódios, Adam fica decepcionado porque seu pai o acha um covarde e, depois de quase contar "seu segredo"em busca da aprovação do rei, desiste dos poderes de He-Man em um momento crítico do reino e traz conseqüências trágicas para seus amigos. Em outro desenho, He-Man faz um pacto com um dragão para trazer um amigo de volta dos mortos, apenas para descobrir que o preço do pacto é a vida de outro amigo.
Além dos bons argumentos, os desenhos de He-Man sempre traziam no final uma mensagem de moral. A maioria era de alto nível e bem elogiada pelos pais - de "não brinque com fogo" e "cuidado com estranhos" a mais profundas como "o verdadeiro pai é aquele que cuida de você e te ama" (no episódio "A Busca de Teela"). É claro que havia algumas ridículas, como a célebre em que He-Man diz que não se deve passar mostarda em um gato, inspirada, ao que parece, em um episódio da vida real de um argumentista...
He-Man teve ao todo 130 episódios e gerou um segundo desenho - She-Ra, sobre sua irmã gêmea - e dois filmes estrelados por Dolph Lundgren: A Espada Mágica (1986), que mostrava o primeiro encontro de He-Man e She-Ra, e Mestres do Universo (1987), no qual He-Man vinha à Terra em busca de uma chave mágica que possibilitaria poder absoluto à Esqueleto.
As músicas e versões nacionais de músicas do desenho também fizeram sucesso - quem não se lembra de Gorpo e Gorpella cantando "O bem vence o mal, espanta o temporal. O azul, o amarelo, tudo é muito belo"? - e até cantores (?) brasileiros exploraram o sucesso do desenho. Xuxa fez uma canção pedindo que She-Ra, por Greyskull, a apresenta-se para He-Man (a moça garantia que era "todinha do bem") e até o desaparecido Juninho Bill em um de seus muitos conjuntos cantava "lá-lá-lá He-Man", "unidos venceremos a semente do mal" e outros mal-traçados versinhos.
Diga-se de passagem, o último episódio de He-Man foi criado em 1987. No ano seguinte a empresa francesa de produtos de beleza L'Oreal comprou o Filmation e demitiu todo mundo do estúdio, encerrando os planos futuros para os personagens. Cest la vie. Os bonecos do personagem, porém, estão sendo relançados neste ano e já há boatos sobre - e listas de apoio na Internet pedindo - a volta de He-Man. Será que ele ainda tem a força?

 

Principais personagens do desenho:

 

Heróis - Adam/He-Man; Pacato (Cringer)/Gato Guerreiro (Battlecat); Mentor (Man-at-Arms); Teela; Feiticeira (Sorceress); Stratos (o amigo alado de He-man); Aríete; Gorpo (Orko)

Vilões - Esqueleto (Skeletor) e seus seguidores Homem-Fera (Beastman); Mandíbula (Trap-Jaw); Tri-Klops; Aquático (Merman) e Maligna (Evil-Lyn)